sábado, julho 17, 2004

Leituras Acríticas - A Casa

A casa, essa, inteiramente me convenceu da sua inabitabilidade. Nunca seria possível vir passar aqui dois meses de férias, por gosto, este ano, mesmo com o alegre propósito of roughing it. Não há quartos, - não há mesmo cozinha. Realmente a casa, tal como está, é um vasto celeiro. Excelente para guardar milho - impossível para conter uma família. Os caseiros habitam no casarão uns buracos negros, de incomparável imundície. E nós, o Luis e eu, temos um quarto, o único, que é bom para dois dias e para dois boémios. Tudo o resto é celeiro. A la rigueur tudo se poderia lavar e caiar rápidamente - mas o que não se podem improvisar são quartos, soalhos, tectos, telhados. A casa precisa uma larga obra antes de ser habitável. Não é obra dispendiosa, porque a propriedade dá a pedra, e madeira, etc. Mas é obra lenta, obra de longos meses.
 
Eça de Queiroz, carta sobre Tormes a Emília em 2-6-1898
|

Powered by Blogger

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com